Apresentação do TCC da Petiana Michele Francine Muniz Andrade

By | 11:26 Leave a Comment
No dia 01/07/2014, a petiana egressa Michele Andrade apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso, encerrando a graduação neste ato.
O trabalho em questão foi baseado em construir um protocolo de manejo de bugios Alouatta clamitans, desenvolvido em parceria com o Projeto Bugio em Indaial, Santa Catarina.
 
O grupo PET Biologia FURB deseja tudo de melhor para sua carreira e sua vida, parabéns por mais essa conquista!
 


 

 
 
Resumo do trabalho:
 
No Brasil há um grande número de primatas apreendidos em cativeiros ilegais, sofrem com
atropelamentos, ataque de cães domésticos e eletrocussão em redes elétricas. Existe, um
significante número de instituições e centros de pesquisas que realizam a conservação e
manejo destes animais, porém carece de protocolos de manejo de infantes. Dentre os animais
apreendidos encontram-se os bugios que são animais cativantes com comportamento
migratório e que chamam a atenção da população. Visando a conservação e manejo dos
bugios existe o Centro de Pesquisas Biológicas de Indaial (CEPESBI). Frente aos fatos o
presente trabalho objetivou descrever um protocolo de manejo de infantes de Alouatta
clamitans baseado no levantamento de dados referentes a animais manejados no CEPESBI.
Os dados analisados foram morfométricos (comprimento da cabeça-cauda e comprimento da
cauda), ganho de peso, e sucesso do manejo. Foram manejados 30 infantes no centro. O
sucesso do manejo foi garantido para 21 infantes, 15 encontram-se em idade adulta, 6 foram a
óbito após um ano de manejo e 6 não possível a firmar o sucesso no manejo, pois foram a
óbito antes de um ano de permanência no centro. Ocorreu a transferência de 2 infantes para
outro criador conservacionista antes de um ano no centro. Atualmente esta sendo realizado o
manejo de um infante macho. Os infantes chegaram pesando com média de 688,95g. Animais
recepcionados com menos de 1 kg e que receberam suplementação na alimentação obtinham
um aumento de peso médio de 5,52 g/dia (±3,71) e os que não receberam suplementação 5,36
g/dia (±8,09). O crescimento da cabeça-cauda em centímetros por dia (cm/dia) a média foi de
0,06 (±0,03) para os indivíduos que receberam suplemento alimentar, e para os indivíduos
que não receberam suplemento a média de 0,09 cm/dia (±,06); o crescimento diário da cauda
para os que receberam suplemento foi de 0,06 cm/dia (±0,03) e os indivíduos que não
receberam suplemento tiveram um crescimento médio diário de 0,15 cm/dia. Ao chegarem no
centro recebem inicialmente leite Semi Desnatado ou Desnatado diluído em água potável na
proporção de 1:1; com 5 ml de mel como fonte de energia; frutas picadas (três tipos), folha de
chuchu, e complexos vitamínicos, frutas e folhas são ofertadas de acordo com o tamanho do
animal, e água a vontade. Verificada a necessidade de suplementação na dieta foram
acrescidos na dieta de acordo com a Taxa Metabólica Basal de cada indivíduo. Deve-se
observar a aceitação e quantidade ingerida a cada refeição e o ganho de peso diário do animal.
Conclui-se que o protocolo realizado no CEPESBI apresenta sucesso no manejo de infantes.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: